Finerge fecha negócio com Vestas para sobreequipar parques eólicos em 2021


Os aerogeradores adquiridos vão equipar os primeiros quatro parques de um conjunto de projetos de sobreequipamento eólico de mais de 70 MW, já licenciados, que a Finerge começará a construir em 2021.

A Finerge anunciou esta segunda-feira que chegou a acordo com a gigante dinamarquesa Vestas para o fornecimento de aerogeradores que se destinam aos projetos de sobreequipamento de quatro parques eólicos da Finerge, com uma capacidade adicional de 10 MW.

Na sequência do seu plano estratégico aprovado em 2019, a Finerge entra assim no chamado greenfield (projetos novos, construídos de raiz), “construindo parques próprios, algo que não fazia há vários anos”, informou a empresa em comunicado, acrescentando que “os aerogeradores adquiridos vão equipar os primeiros quatro parques de um conjunto de projetos de sobreequipamento eólico de mais de 70 MW, já licenciados, que a Finerge começará a construir ao longo do ano de 2021.

“É o regresso da Finerge à construção de parques próprios, algo que a empresa não fazia há dez anos, desde 2011. Estamos satisfeitos por poder contar com tecnologia de máxima reputação, como é a da Vestas, nesta primeira iniciativa. Entramos no greenfield, colocando em prática um plano estratégico ambicioso, para o qual se criou uma equipa de desenvolvimento de negócio, com o objetivo de reforçar o desenvolvimento de novos projetos e o crescimento orgânico da Finerge. Continuaremos a crescer, quer por esta via, quer pela da aquisição de ativos”, afirma Pedro Norton, CEO da Finerge.

Em 2020, a Finerge continuou a implementar o seu plano estratégico de aposta nas energias renováveis em Portugal e Espanha. A empresa entrou no negócio da energia solar em Portugal, adquirindo dez parques (quatro em março e mais seis em setembro).

Comprou ainda sete parques eólicos em Espanha, em agosto, passando a ser a sexta maior produtora de energia eólica da Península Ibérica. Fechou ainda três linhas de financiamento para investimentos em ativos: uma de 200 milhões de euros, em abril; outra de 150 milhões de euros, em novembro, para a aquisição de parques solares; e a última, de 348 milhões de euros, vinculada a ativos eólicos em Espanha.

Através dos seus 659 aerogeradores instalados nas 53 centrais eólicas que explora, e nas 16 centrais solares fotovoltaicas, em Portugal e Espanha, a Finerge tem neste momento uma capacidade instalada de 1339 MW, produzindo cerca de 3200 GWh por ano, evitando a emissão de 1801 kton de CO2.
 

Fonte: Eco