Famalicão vai criar duas novas zonas de expansão empresarial


O concelho de  Famalicão vai acolher duas novas zonas de expansão empresarial, foi hoje anunciado. Os novos espaços vão ficar localizados, um na União de Freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei e União de Freguesias de Arnoso e Sezures, e outro em Lousado e União das Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos.

O concelho de  Famalicão vai acolher duas novas zonas de expansão empresarial, foi hoje anunciado. Os novos espaços vão ficar localizados, um na União de Freguesias de Lemenhe, Mouquim e Jesufrei e União de Freguesias de Arnoso e Sezures, e outro em Lousado e União das Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos.

Em comunicado enviado a O MINHO, a autarquia refere que as propostas para a delimitação das respetivas unidades de execução estiveram, esta quinta-feira, em discussão na reunião do executivo municipal. Para além da criação das áreas de expansão industrial, as propostas asseguram a oportunidade de melhoramento das acessibilidade e a mobilidade nestas zonas do concelho.

A primeira zona irá abranger uma área de 157.297 metros quadrados, beneficiando da proximidade ao nó de acesso à A3, em Cruz. A concretização desta zona de expansão industrial será uma oportunidade para melhorar as acessibilidades da área norte do concelho, através da criação de uma alternativa viária à EM 571-1 e reconfiguração do Nó de Acesso à A3, o que vai permitir melhorar significativamente as condições de circulação entre esta via Municipal, a EN14 e o acesso à autoestrada.

 

No que diz respeito à zona de expansão industrial que vai nascer em Lousado e na União das Freguesias de Esmeriz e Cabeçudos com uma área 333.379 metros quadrados visa o reparcelamento e a infraestruturação de um espaço urbanizável, destinado à construção do novo terminal ferroviário de mercadorias da Medway e à instalação de atividades económicas (comércio, indústria e serviços). Neste caso são propostas cinco parcelas para atividades económicas.

Será construída uma infraestrutura viária, entre a EM508-1 e a Linha do Minho, que irá permitir criar condições de acessibilidades ao interface e aos vários terrenos destinados à implantação de atividades económicas. De acordo com a proposta apresentada será ainda criado um novo acesso a norte, para compensar a supressão do caminho existente, resultante da construção do interface de mercadorias.

A criação destas duas novas zonas de expansão empresarial é vista pelo presidente da Câmara, Mário Passos, como uma “excelente notícia para o território”. “Famalicão é reconhecido a nível nacional e internacional como terreno fértil para o investimento e para o crescimento de empresas e indústria. Com estes novos enquadramentos industriais, estamos a criar condições de excelência para a instalação de mais empresas no nosso concelho, o que significa mais emprego, mais qualificação e melhor qualidade de vida”, afirma, citado no comunicado.

Mário Passos salientou ainda a importância destes investimentos para a reestruturação das acessibilidades e da mobilidade: “Estamos a providenciar o ambiente ideal para o sucesso da atividade empresarial, aproveitando a oportunidade para criarmos uma completa rede de infraestruturas de transporte e comunicação que permitirá uma rápida ligação entre as empresas, os seus fornecedores e clientes”.

Famalicão é o concelho concelho mais exportador do país.

 


Fonte: O Minho